Quando a criança vê os pais mentindo…..

         Muitas pessoas utilizam-se das “mentiras brancas” para sair de situações socialmente embaraçosas, tipo “diga que não estou”, “mais tarde”, “vamos marcar um café”, “querida” ( quando todos sabem que não suporta a pessoa), etc.

         Por que temos dificuldade em lidar com nosso desejos, limites, sentimentos? Quando mentimos ou inventamos uma desculpa, na verdade, estamos tentando nos isentar da responsabilidade ou dos embaraços de assumir uma posição, de impor o nosso limite, de esclarecermos uma situação.

         Para algumas pessoas esse hábito é frequente, ocorrendo de forma quase automática, inclusive na frente dos filhos, que por vezes sentem-se confusos e perplexos, tecendo comentários que tornam evidente a mentira “ela mandou dizer que não está”, “você disse que não gosta dela e a chama de querida” e assim por diante.

         O que fazer? Como compreender e explicar isso? Quanto menor a criança mais ela está se confrontando com a discriminação fantasia e realidade; concreto e abstrato e fica confusa com a mensagem dúbia: “Não minta, fale sempre a verdade, eu não minto”. Como lidar com “faça o que eu digo, mas não o que eu faço”?

         Quando a criança vê os pais mentindo, com o tempo começa a desconfiar do que eles lhe dizem – o que afeta o tão importante sentimento de segurança básica necessário para um desenvolvimento emocional saudável.

         Cabe ao adulto se questionar o porquê mente, mentira “boba ou não”, o por que não pode assumir a situação?Porquê é exatamente isso o que está passando com sua atitude para a criança “aprenda a se safar das situações sem lidar com as consequencias desagradáveis – fuja das punições”.

          Aos adultos compete a reflexão sobre o tema, muito antes de punir a criança.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>