Intervenções Breves e Psicoterapia Breve

A vida é repleta de surpresas e o ser humano repleto de indagações em sua complexidade. Por vezes nos perdemos de nós e em nós mesmos, assustando-nos com a emergência de aspectos que até então desconhecíamos e que nem suspeitávamos que pudessem existir em nós. Sentimentos de confusão, medo, ansiedade, perplexidade, dor, raiva, fragilidade, desamparo tendem a nos assaltar, por vezes de forma branda, por vezes de forma paralisante. Sentimos-nos perdidos. As soluções que até então empregávamos já não mais satisfazem e não conseguem dar conta da situação. Precisamos urgentemente de novas alternativas, mas quais? Intervenções Breves e urgentes tornam-se oportunas.

As Intervenções Breves são indicadas nesses momentos de crise, que podem ser precipitadas por perdas, por ganhos, por acidentes no percurso da vida ou pelas próprias modificações que ocorrem no ciclo da vida, tornando-nos mais vulneráveis ao desenvolvimento de doenças de cunho psicológico, como depressão, quadros de ansiedade e até mesmo rupturas psicóticas, com consequências nos âmbitos relacionais, escolar, profissional, familiar.

O atendimento psicológico nessas situações pode contribuir para uma melhor compreensão de si e da situação visando ao crescimento emocional e ao restabelecimento do equilíbrio antes existente. Nesses casos tanto as Intervenções Breves em Crise (poucas sessões visando a compreensão do problema emergencial específico) como a Psicoterapia Breve (processo estruturado com objetivos e tempo pré-determinados visando a compreensão de queixas específicas de forma estruturada) são indicadas, levando-se em conta a motivação da pessoa, sua demanda e possibilidades.

Essas intervenções aplicam-se a todas as faixas etárias, da infância até a velhice.