História Clínica

 

             A história clínica ou anamnese é um dos mais importante e tradicional instrumento utilizado na prática do psicólogo, seja ele de qual área for, mudando apenas o enfoque, de acordo com o objetivo e as circunstâncias da entrevista.

            Na prática clinica, um dos objetivos desse instrumento é coletar dados de vida da pessoa que busca o atendimento, da forma como ela se lembra e/ou pode nos contar, a fim de podermos contextualizar e melhor compreender suas dificuldades e demandas. Indagamos sobre as várias etapas de seu desenvolvimento, seu contexto afetivo-relacional, familiar, social, laboral, social/cultural/religioso. Esses dados podem ser fornecidos pela própria pessoa e em determinadas condições por familiares, cônjuges, filhos, cuidadores.

             Assim podemos, por meio de uma linha do tempo, organizar as informações, os eventos lembrados e trazidos, em um continuum, possibilitando ao profissional relacionar dados, associar eventos, abrindo o caminho para outras recordações, associações e quiçá ressignificações. De acordo com os princípios da Teoria Geral dos Sistemas, de Bertalanfly, nenhum evento é isolado, encadeando outras vivências e acontecimentos ao longo da vida.

            Outro recurso disponível é o Genograma, que por meio de sua construção e organização torna mais clara a constituição e história familiar, com seus segredos, mitos, repetições por meio de escolhas, projeções, introjeções expressas nos diferentes tipos de relações entre seus membros de uma forma transgeracional. A historia de vida de uma pessoa necessariamente remete a seus ancestrais, a suas relações na horizontalidade e na verticalidade. A forma como os dados são relatados revelam a subjetividade no caso de terceiros envolvidos, a forma como essa pessoa se apresenta e é percebida, também pela subjetividade desse outro.

            Esse momento da avaliação psicológica ou psicoterapia, quando bem conduzido, possui um significativo valor terapêutico,  sendo frequentemente relatado pelas pessoas como uma experiência que possibilita uma outra visão da própria história, gerando outras questões e propiciando um sentimento de alivio.

            A mesma história pode ser contada, relembrada, recortada pela memória de diferentes formas, de acordo com a significação que atribuímos aos fatos e os relacionamos em um dado momento da vida, sob a influência de angústias, defesas, temores, desejos, contexto relacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>